Quando o (meu) mundo mudou.

Quando o (meu) mundo mudou.

A vida dá umas voltas, piruetas, passos de dança, que muitas vezes parecem descompassados, mas que colocam (ou deveriam) nos colocar em movimento. Dessa vez a mudança é a mais intensa possível e está mexendo – literalmente – com tudo no meu mundo.

Tan tan tan tan: – Estou grávida. 

Isso tem me deixado bem reflexiva sobre absolutamente TUDO no mundo: o tempo, a vida, as energias, as escolhas, a política, a educação, a cultura, etc, etc, etc, e, principalmente, o SER mulher. Quem me conhece de perto sabe que apesar de ser uma pessoa sensível, não sou muito romântica (hehehe) e acho muito louco e engraçado saber que tem uma serumaninha crescendo aqui dentro da minha barriga. =)

Tenho uma relação muito sensível com meu corpo. Percebo qualquer mudança rápido e, antes mesmo do dia em que minha menstruação deveria vir, eu já estava sentindo que havia algo diferente. No dia previsto em que ela não apareceu, fiz o exame em casa. Com o resultado positivo, fui no outro dia ao laboratório pra ter 100% de certeza. Não contei a ninguém. Fiquei absorvendo a novidade e esperei uma semana pra contar ao marido – ia aproveitar pra contar no dia do nosso aniversário de 02 anos de casamento.

Os planos eram: aproveitar que nesse dia ele chegaria do trabalho só a noite e daria tempo fazer um jantar, decorar a sala e entregar o “presente”: uma caixinha com os exames e um mini-sapatinho colorido. But… ele tem o dom de “estragar” TODAS as surpresas e, justamente nesse dia, teve um problema no carro e não foi trabalhar, foi tentar resolver e chegou mais cedo em casa. ¬¬

Eu pedi pra ele ficar no andar de cima, enquanto eu preparava algumas coisas lá embaixo. Quando estava tudo pronto que o chamei, ele já veio sorrindo. Entreguei a caixa e esperei uma reação incrível – já que ele sonhava com isso há muito tempo, mas ele olhou pra mim e disse: “-Eu JÁ sabia.” 

Como assim?!?!?! Ele disse que me notou meio estranha e intuiu que era isso que eu ia dizer. Tá bom, né?! Fazer o quê?! hauheuhauehuahuea
Mas nem por isso deixou de ser um dia especial. Agora estamos atravessando montanhas-russas gigantescas com muitas coisas práticas da vida, mas no peito a esperança de que vai dar tudo certo. Só contamos para as nossas famílias depois de 10 semanas e aos amigos aos pouquinhos, a medida em que nos encontrávamos. Queríamos contar olhando nos olhos, dando e recebendo abraços. Com alguns foi via whatsapp’s da vida mesmo, mas nem por isso menos felizes. =)

Não sei se esse seria “o momento certo” ou “o melhor momento”. No fim das contas, acho que isso nem existe, mas tem sido como quando a gente vai saltar de uma tirolesa muito alta ou de parapente…um passo solto no ar e a certeza de que o caminho vai valer a pena.

Conto nos dedos de uma mão as minhas amigas que são mães. Poucas, muito poucas. A minha família é muito pequena, não tenho irmãs nem primas pra conversar nem compartilhar tudo isso. Graças a internet tenho conhecido mulheres incríveis que tem me inspirado nessa nova fase da minha vida. Acredito que os diários de gravidez, relatos, cotidianos mostrados “na real” fazem com que a gente construa pontes, redes de apoio e, fiquemos mais fortes pra passar por tantas mudanças.

Vamos lá, que essa nova aventura já começou – nessas fotos, haviam se passado 13 semanas (e o tempo agora parece que corre mais depressa!)

 

Comente! :]


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *